No Mês da Consciência Negra, Sindmetro-PE promove roda de conversas com representantes do Movimento Negro

O Sindmetro-PE, através da Secretaria de Gêneros e Raças, realizou na manhã desta quarta (23), a roda de conversas no mês da Consciência Negra com o tema “A importância do Combate ao Racismo, junto à categoria!”, na Sede do Sindicato.

A diretora Telma Barbosa e o suplente Luiz Paulo Dandrada abriram o encontro falando sobre a importância de abrir espaços e diálogos para combater o racismo, que infelizmente, ainda existe no Brasil.

Foi exibido o curta metragem “Que Cabe Em Um Trançado”, falando da importância no reconhecimento dessa técnica que empodera mulheres e homens negros

A Presidenta da União Brasileira de Mulheres, Laudijane Domingos foi a primeira palestrante a falar, destacando a necessidade de políticas públicas voltadas à inclusão de negros e negras, e explicou como foi formada a base de resistência contra o racismo no Brasil. “Enquanto houver racismo, não haverá democracia. E a maior luta da história desse país foi a luta contra a escravidão. Essa concepção de unidade existente no Brasil, não foi conseguido através da pacificação, mas da luta que foi firme e forte contra a escravização”.

Coordenadora Nacional de Entidades Negras, Lindinere Ferreira, resumiu a história que enquadrou e aprisionou negros e negras no Brasil. “Precisamos quebrar dois mitos que falam muito. Primeiro eu não sou descendente de escravos, sou descente de africanos que foram escravizados. Segundo a história do trabalho no Brasil, começou em 1832 quando chegaram os primeiros navios negreiros e em 1835 em Pernambuco. Pois, os livros excluem esses fatos”.

“Precisamos vivenciar a prática antirracista e não só o discurso. Ainda temos uma sociedade escravocrata, por isso que 70% das mulheres abusadas são negras. Os negros só passaram a ter direitos, a partir da Constituição de 88, as cotas não são preconceituosas, são cotas de reparação histórica”, explicou.

O Secretário de Combate ao Racismo da CUT Pernambuco, Gilson Goz, falou da importância da criação dos Coletivos de Combate ao Racismo nos sindicatos. “Temos que combater o racismo em qualquer sistema, porém no capitalismo, ele é ainda mais perverso. Por isso, é importante à criação de núcleos antirracistas nas bases dos sindicatos”.

O vice-presidente do Sindmetro-PE, Valmir Assis, participou da roda de conversa e falou da necessidade da roda de conversas e da Diretoria de Gêneros e Raças para pautar temas relevantes e importantes para a sociedade.

Após as falas dos convidados, foi aberto para fala dos demais presentes. No final, foi feito sorteio de 4 livros.

« VOLTAR